terça-feira, 17 de dezembro de 2013

FORMATURA DO PROGRAMA DE JOVENS - MEIO AMBIENTE E INTEGRAÇÃO SOCIAL DE PARAIBUNA, MÓDULOS BÁSICO E ESPECIALIZAÇÃO - FAZENDA SÃO PEDRO 05/12/2013

Aconteceu no dia 05 de dezembro de 2013, às 19 horas, no salão da Diretoria de Educação, em Paraibuna-SP, a formatura dos jovens do Programa de Jovens - Meio Ambiente e Integração Social do Núcleo Fazenda São Pedro, módulos II (ciclo básico) e IV (ciclo de especialização). Os coordenadores Elaine Cristina, Diana Darc dos Santos, Milena Antunes, Bruno Barreto e Ariane dos Santos Souza junto aos jovens Luana Moraes, Vitória Aparecida, Tamiris dos Santos Garcia, Ana Caroline Andrade e Fernando Martins ajudaram na organização do local, em parceria emprestado pelo Secretario de Educação Sr. Evânio Leal de Lima.
Na mesa de recepção ficaram os jovens do módulo III (Milena, Robélio e Fernando) do núcleo Fazenda São Pedro. O mediador e parceiro Fernando Martins conduziu o evento como mestre de  cerimônia. Após ter feito a abertura e apresentação, convidou as autoridades para compor a mesa, sendo eles: a Presidente do Instituto H&H Fauser, Cristina Fauser, que não estava presente neste momento, mas foi representada por Susane Maria Fauser; o Coordenador Geral do Projeto Carlos Alberto da Silva Filho; o Vice Prefeito do município de Paraibuna Vitor de Cássio Miranda; o Coordenador da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo Luís Alberto Bucci e Romeu Leal de Andrade Gestor do Fundo Municipal da Assistência Social.
Composta a mesa, foi solicitado aos jovens do módulo básico e especialização  que se dirigissem ao local reservado a eles, e a seguir executou-se o Hino Nacional.
Foi franqueada a palavra aos componentes da mesa e fazendo o uso da mesma, o Vice Prefeito Vitor de Cássio Miranda destaca em seu argumento a importância de oportunidades.
Seguido do Coordenador Geral do Projeto Carlos Alberto da Silva Filho que relata sobre os jovens, suas etapas no programa, a importância de repassarem seu aprendizado e o valor da ética.
O Coordenador da Reserva da Biosfera Luis Alberto Bucci, agradece o empenho de Fernando Albano Carriço, Coordenador de Responsabilidade Social da Petrobras pelo empenho em que fez o projeto acontecer, a todos pela confiança nos ideais da Reserva da Biosfera e parabeniza aos jovens do PJ-MAIS Paraibuna.
Susanne Maria Fauser, agradece aos jovens por dedicarem seu tempo livre a este projeto, também aos pais pela confiança em seus filhos, parcerias e colaboradores.
Esta formatura teve a importância de estar concluindo dois ciclos, um que preparou o jovem para uma nova etapa no curso e a outra, de Especialização, que afirma a capacidade do jovem em propagar seu aprendizado no decorrer de sua vida. E para o Instituto H&H Fauser, é um reflexo de que os jovens abraçaram este programa e se empenharam para chegar onde estão.
A seguir, a coordenadora da oficina de Consumo, Lixo e Arte, Diana Darc dos Santos, representou os 15 formandos do Módulo Básico, prestou sua homenagem aos jovens, com as palavras do coordenador paraninfo Levindo Neto. Após, a jovem escolhida oradora do Modulo Básico, Larissa Raquel dos Santos Silva, prestou seus agradecimentos a todo o grupo por este período. O mediador Fernando convida a todos a assistir um vídeo com os melhores momentos desta turma.
 Em seguida, a paraninfo Milena Antunes de Camargo Mendes, coordenadora da oficina de Educação Cientifica, prestou suas homenagens aos 15 jovens formandos do Módulo Especialização e foi uma das homenageadas, assim como todos os coordenadores de cada oficina pelos oradores escolhidos pelos jovens da turma do Módulo Especialização, Julia Helena Almeida Morais dos Santos e Júlio César Costa Rezende. Depois de seus depoimentos um vídeo com os melhores momentos da turma foi exibido.
 A seguir foi feita a entrega de certificados com as autoridades presentes, começando com os jovens do ciclo Básico que ganharam lembrancinhas confeccionadas pela coordenadora Diana Darc dos Santos e pela jovem Júlia Helena. Seguido do ciclo de especialização que receberam seu diploma pelos dois anos e uma agenda.
 Para encerrar, o mediador agradece as autoridades e a presença dos demais, convidando a todos para o café servido pelo Sr. Messias Rodolfo nesta cerimônia.
 Ter formado os jovens este fim de ano significa o resultado de muito esforço para todos que trabalham na instituição, manter um projeto social não é fácil, demanda constante planejamento e replanejamento, muitas horas de trabalho e, principalmente, necessita de uma equipe integrada, o que foi um dos pontos de transformação forte e de crescimento deste trabalho.

Texto: Tamiris dos Santos Garcia, monitora da Oficina e Educação Científica (ex-PJ, 16 anos).

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Reportagem no site da Prefeitura de Paraibuna sobre o PJ-MAIS.

09/12/2013 - Programa de Jovens faz balanço positivo no Município
     O Instituto H&H Fauser realizou na última sexta-feira, 06, o Seminário de Avaliação do Programa de Jovens – Meio Ambiente e Integração Social (PJ-Mais). O evento aconteceu no auditório da Diretoria Municipal de Educação e contou com a presença de alunos e gestores do Programa, autoridades do município, representantes de instituições paraibunenses e da capital paulista.

     Segundo o coordenador da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo (RBCV), Luis Alberto Bucci, o seminário mostrou a importância do PJ-Mais em Paraibuna. “A cada ano, o projeto no município fica ainda melhor, pois conta com gestores eficientes, jovens interessados em ampliar seus conhecimentos e, em especial, às instituições parceiras que também são responsáveis pelo sucesso do Programa de Jovens, dentre as quais: Petrobrás, Prefeitura de Paraibuna, entre outras”.

     Ainda de acordo com Luis Bucci, o PJ-Mais trouxe grandes benefícios aos participantes do Programa. “Os jovens aprenderam a elaborar projetos relevantes para a preservação do meio ambiente, com diversos trabalhos premiados e reconhecidos por renomadas instituições de ensino do País, como a Universidade de São Paulo”, conclui.
 
     Para o coordenador geral do PJ-Mais no município, Carlos Alberto S. Filho, o apoio financeiro da Petrobras foi fundamental para o custeio dos projetos desenvolvidos pelos alunos, dentre outras despesas. “Em dois anos, a Petrobras doou cerca de um milhão de reais para o Programa de Jovens. Desse valor, destinamos aproximadamente 85% para a aquisição de diversos produtos e serviços na própria cidade, contribuindo para aquecer o comércio de Paraibuna”, afirma.

     Formatura

     A formatura de 30 alunos do PJ-Mais fechou o ano de 2013 com um saldo positivo. Duas turmas se formaram, sendo 15 formandos do 1º ano (ciclo básico com quatro oficinas temáticas) e 15 formandos do 2º ano, que se especializaram em uma das disciplinas, além do ensino em educação científica. O evento aconteceu no Auditório da Educação no dia 05 de dezembro.

     A formanda Júlia Helena Moraes (16) se especializou em Turismo Sustentável e na Produção de Manejo Agrícola Florestal Sustentável. Segundo ela, ter participado do PJ-Mais foi uma grande experiência de vida. “Aprendi muitas coisas interessantes que me ajudaram a ser uma pessoa mais disciplinada e interessada pelos estudos”, declara.

     Outras informações sobre o PJ-Mais pelo link:
http://www.ahpce.org.br/newsite/index.php?option=com_content&view=article&id=25&Itemid=28
http://www.youtube.com/watch?v=dnju1rZIQ7w

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

                                               PJ - MAIS  :  Meu caminho
Quando fui para a Fazenda São Pedro na primeira semana achei o lugar parecido com a escola, com regras como a escola, com salas e carteiras como a escola. Me senti feliz por estar junto com os colegas, mas cansado por ir direto da escola para outra atividade.

O 1º semestre foi bem legal, por que aprendemos de tudo um pouco, sobre a culinária de Paraibuna e como projeto para experimentar escolhemos o milho porque é relacionado com uma festa que já existe na cidade, a Pamonhada, então fizemos várias criações como brigadeiro de milho, biscoito,  sequilhos tudo de milho,etc.

Em PROMAFS foi um semestre bem cansativo, por que precisamos dar uma “geral” em todo espaço do núcleo na fazenda, nas plantas, na área projetada para ser a horta, começamos a deixar o núcleo com a nossa cara.

Consumo Lixo e Arte foi uma das melhores oficinas no 1º semestre reutilizamos materiais da natureza que são descartados, e de forma sustentável aprendendo a função de cada elemento, sementes, troncos, cascas, etc, descobrimos como fazer instrumentos musicais e enfeites.

Mas foi a oficina de Turismo Sustentável que despertou meu maior interesse. Conheci e passei a gostar do lugar onde vivo, aprendi sobre a parte histórica e a Cultura de Paraibuna. E comecei a me preparar para fazer monitorias.

No segundo semestre comecei a praticar monitoria como voluntário na Fundação Cultural, e foi aí que me encontrei de verdade, descobri em mim o potencial de falar em público, de guardar datas e informações específicas, e então peguei gosto pelo Turismo que pode ser realizado em minha cidade.

Fiquei cada vez mais feliz com o que o Programa de Jovens me proporcionou e fui me aprofundando na oficina de Turismo Sustentável muito bem coordenada pela Turismóloga Elaine Nogueira.

Descobri ao longo do tempo que o PJ-MAIS não era nem um pouco parecido com a escola. A escola me deu toda base estrutural de conhecimento, mas o PJ me proporcionou uma nova forma de relação com o espaço, com o mundo, com práticas, sendo co-responsável por ele, o que me motivou a cuidar de onde estávamos praticando as oficinas e a conviver ao máximo a relação com os Coordenadores pois sempre existiu uma amizade e cumplicidade fazendo com que tivéssemos uma liberdade conscientemente responsável.

A oficina de Educação Científica foi uma das mais importantes para todos os PJs, tanto que continuei após formado para conseguir concluir meu projeto. Com a Coordenação da Bióloga Milena Antunes desenvolvemos projetos de nossa escolha, mas a partir de problemas que nós diagnosticamos na cidade onde vivemos, foi bem complicado e cansativo, acabamos indo dormir as 1h, 2h às vezes até as 5h da madrugada no mês que antecedeu as inscrições da FEBRACE, e mesmo assim acordávamos às 6h da manhã para ir à escola, ficamos pouco mais de três semanas nessa rotina, incluindo sábados e domingos, o desgaste físico e psicológico foi grande mas todo esse esforço valeu a pena e eu e outros jovens conseguimos concluir nossas monografias.

Agora tenho muitos planos para o futuro: trabalho, estudo, fazer uma faculdade de Turismo, mas o principal de tudo isso é que aprendi como ser um profissional e um ser humano responsável, que conclui o que começou com valores pessoais muito mais reforçados.


Texto: Luis Fernando Martins

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

                                   O INSTITUTO H & H FAUSER APRESENTA:                 
   8ª MOSTRA CINEMA E DIREITOS HUMANOS NA AMÉRICA DO SUL
Dias 04 e 11 às 9h e às 14h e 12/12 às 14h
 
 

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Curso de observação de aves com os Biólogos Patrick e Elizabeth Smith

Uma extensão do Projeto Juçara é um curso que apresenta uma interação entre fauna e o palmito juçara entre outras frutas nativas assim também como partes teóricas e práticas para observação das aves. O curso envolveu alunos do PJ-MAIS, escola municipal do Cedro e moradores da região da estrada do Pavoeiro (ao menos 1 representante de cada família).




Alguns alunos do PJ-MAIS do Instituto H&H Fauser foram monitores dos primeiros cursos ministrados aos alunos da escola do Cedro pela manhã e aos moradores a tarde. O curso é apresentado pelos biólogos Patrick Inácio Pina e Elizabeth Smith. Cada turma teve as informações de acordo com sua idade, assim as crianças puderam conhecer mais sem perder o foco com informações mais difíceis de compreender com sua idade.

Desenho feito por aluno do bairro do Cedro
De de aluno do Cedro, foi orientado desenhar para ajudar a recordar qual ave foi vista


Nas aulas teóricas conhecemos um pouco sobre aves que estão a nossa volta em uma apresentação introdutória que vai se aprofundando com aves do Brasil. Como material do curso temos penas de aves que foram encontradas pelo Patrick em suas pesquisas, cadernetas pequenas de cor chamativas para caso perca em uma pesquisa de campo, que é na mata, um modelo de  fossíl de plástico de uma ave pré-histórica e um boneco bem conhecido nos dias de hoje que é o Blu a ararinha azul, personagem da animação Rio dirigida por Carlos Saldanha, um aparelho para captar e aumentar o som focado ao longe e é claro binóculos para observar as aves.




O curso informa a ligação que estas aves tem com seu habitat como por exemplo frutos que servem como fonte de alimento para as aves e outros animais. Explicando a ligação de sua anatomia com seu alimento, por exemplo: aves com formatos de bicos que fazem que seja mais fácil se alimentar de frutas, já outras que conseguem quebrar cascas de árvores para conseguir insetos, tudo de acordo com suas garras, penas e bico. Com isso a partir de onde nós encontramos podemos ter uma ideia que tipo de aves podemos encontrar além de ouvir seu canto ao longe.


Todas as atividades foram registradas com fotos e todos os presentes receberam as cadernetas que usaram para fazer suas anotações de aves avistadas. Continuaram em casa a observar as aves que existem em sua volta, perguntando para os familiares quais aves eles conhecem também. Incentivando este conhecimento e prática futura pois houve conversas de algumas pessoa para criar um grupo de observação de aves em Paraibuna como um atrativo turístico.


segunda-feira, 4 de novembro de 2013

 PROJETO AZIMUTE
    20 á 28 de Julho

Azimute significa “ponto no horizonte” e é sinônimo de rumo, direção. É o nome que se dá quando a bússola é ajustada de acordo com as coordenadas que se deseja seguir durante uma expedição.
Essa analogia define este projeto: Uma proposta que visa oferecer ao jovem uma oportunidade de refletir sobre e desenvolver seus rumos, seus projetos de vida, sua atuação na comunidade em que vive.
O Projeto Azimute propõe aos participantes uma experiência transformadora de forma desafiadora utilizando a aventura como principal instrumento. Ele é gratuito e destinado a jovens que se encontram em situação de  vulnerabilidade social e/ou econômica. Seu objetivo é apoiar estes jovens na superação de seus desafios na vida e no trabalho, oferecendo-lhes a oportunidade de desenvolver seus projetos de vida, fortalecer suas competências pessoais, sociais, cognitivas e produtivas, inspirando-os a assumirem um papel de agentes de transformação social. Essa iniciativa educacional foi idealizada pela Outward Bound Brasil, uma organização sem fins lucrativos, e o Instituto Asas, organização idealizada e mantida pela Red Bull Brasil para cuidar dos investimentos sociais da empresa no país.
A principal ferramenta utilizada no Projeto Azimute é uma expedição autossuficiente em grupos de até 15 participantes, que são acompanhados por dois instrutores ou mais. A autonomia do grupo é conquistada gradativamente e atinge um nível alto ao final dela.
Não existe competição, apenas uma forte relação de interdependência e suporte entre os participantes. Rodas de conversas e trocas de feedback são comuns para refinar o trabalho em equipe e promover o auto-conhecimento.
A locomoção entre acampamentos durante as expedições é feita remando em canoas canadenses ou a pé em caminhadas de longo curso. Escalada em rocha, cachoeirismo, dinâmicas ao ar livre, jogos cooperativos e um trabalho comunitário também fazem parte do programa.
Em uma parceria com o Instituto H & H Fauser 6 jovens do PJ-MAIS "Programa de Jovens Meio Ambiente Integração Social", participaram da expedição sendo feita 3 expedições dividindo 2 jovens de cada vez.
 Ação na comunidade: Dando ASAS a saudade. Turmas MADEIRA SEM MISERIA  do projeto AZIMUTE da OBB executaram uma ação no Lar Vicentino, onde revitalizaram um muro, com temas que os idosos sentem falta e saudade, com a ajuda da professora de artes e grafiteira Michele, ilustraram o muro da casa dos idosos em Paraibuna. SP. Os jovens de Jaguaré SP, para finalizar fizeram um belo SARAU para os idosos onde emocionou a todos.


terça-feira, 1 de outubro de 2013

5°. Seminário de Educação Ambiental

Pindamonhangaba 27/09/13




O Seminário de Educação Ambiental foi muito produtivo, absorvemos um aprendizado incrivel. Representar instituições como o Instituto H&H Fauser e a CESP em um evento tão importante quanto esse é gratificante para nós jovens do PJ-MIAS ( Programa de Jovens Meio Ambiente Integração Social).
O evento deve inicio às 9h com um delicioso café e visitas rápidas nos stands, a abertura do seminário foi realizada pelo Prefeito de Pindamonhangaba. Logo após a fala foi de Duva Brunelli Coordenador da Câmara Técnica de Educação Ambiental falando um pouco sobre o curso e Educação Ambiental oferecido pelo CBH. Seguindo com as palestras, tivemos as apresentações do Projeto de Educação Ambiental Casa Verde, Projeto Casa Ecológica, Projeto Madre Ecologia que mobiliza a inclusão social para seus jovens de necessidades especial, Projeto UNITAU Reciclando, e Educação Ambiental para jovens relatos e experiências da Outward Bound Brasil - OBB. Dois Jovens do PJ-MAIS, Lucas Rogério Lima da Silva e Lucas Jeremias de Oliveira, que participaram do Curso Monitor Mirim Ambiental Oferecido Pela CESP, (Companhia Energética de São paulo), Coordenado pela Bióloga Deise Martins, foram contratados para representar a instituição no evento, com um stand onde apresentaram simbolicamente, o viveiro de mudas, a apicultura e o viveiro de aves nativas, falando também um pouco das Compensações Ambientais feitas pela Companhia Energética. Aproveitando a deixa os jovens apresentaram o Projeto Despoluição nas Águas, elaborado por eles no curso de Monitor Mirim que visa a sensibilização do público infanto-juvenil para problemas socioambientais.
Tivemos no stand uma amostra do sementário obtido na CESP, mudas da árvore Guatambú que foram doadas para participantes do evento e amostra do composto orgânico que também foi doado. Para o Evento ficar mais descontraído foi feito um “ kIT CESP “ para sorteio contendo uma garrafinha da jacutinga, um composto orgânico, uma muda de Guatambú e um lápis.

                             
                                    




 


segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Visita técnica ao Parque das Neblinas nos dias 23 e 24 de setembro de 2013.

 Por Sebastião Augusto Pedroso
III Módulo do Programa de Jovens Meio Ambiente e Integração Social

    No Parque das Neblinas tivemos uma vivencia sobre a palmeira Juçara que agregou muito conhecimento para os nós.
     Foi apresentado em uma palestra como funciona o plano de manejo para trabalhar com palmeira e também toda sua importância como “Espécie chave” da Mata Atlântica . Com a parte prática de conhecer as trilhas que continham muitas árvores da mata atlântica, e encontrando o que são chamadas de “manchas” de Juçaras que são um conjunto das mesmas próximas uma da outra.
     Assim nas palestras e na prática vimos a importância deste fruto para a biodiversidade, por ter frutos em épocas que outras árvores não geram sendo assim uma fonte de alimento única na escassez. A preservação e conservação para o homem na natureza, fazendo a coleta do fruto e se preocupando em deixar para os animais, como por exemplo: jacus, jacutingas, tucanos entre outros; e também semeando cada vez mais juçaras, até mesmo levando para viveiros de mudas.
    Soubemos lá que havia pessoas que já trabalharam como palmiteiros ilegais e hoje são coletores de fruto de Juçaras de uma maneira sustentável e legalizada.
    O curso mostrou como funciona a vida das pessoas em sintonia com a vida sustentável com o ambiente.



terça-feira, 23 de julho de 2013

Seminário Juçara e Frutas Nativas: em busca da sustentabilidade

Sítio Aruanda, localizado na Estrada do Pavoeiro, km 1, em Paraibuna-SP ( acesso na altura do km 59,5 da Rodovia dos Tamoios SP 99 Placa GASTAU SHAFT).

Salão onde será realizado o Seminário


Depois de vários projetos bem sucedidos em prol do meio ambiente, o Instituto H&H Fauser prepara-se para desenvolver mais uma ação que promete sensibilizar as pessoas de uma forma renovadora.
O Seminário Juçara e Frutas Nativas: em busca da sustentabilidade é parte do projeto Educação Ambiental para preservação e plantio da Palmeira Juçara e uma exigência do IBAMA para autorização do funcionamento do Gasoduto Caraguatatuba-Taubaté (GASTAU).
Neste seminário serão apresentadas experiências bem-sucedidas de conservação e uso sustentável da Palmeira Juçara e das frutíferas nativas.
O Seminário Juçara e Frutas Nativas: em busca da sustentabilidade é a primeira de cinco ações, que serão desenvolvidas pelo Instituto H&H Fauser sob contrato da Transportadora Associada de Gás (TAG) com o objetivo de sensibilizar os moradores da região da Estrada do Pavoeiro para a importância da Palmeira Juçara e frutíferas nativas para o equilíbrio ambiental e o potencial econômico da sua exploração sustentável.
A realização deste evento é uma medida mitigadora dos impactos causados pelo GASTAU, exigida pelo licenciamento ambiental federal, conduzido pelo IBAMA.
O projeto tem como público alvo os produtores rurais, técnicos das prefeituras, estudantes do Município de Paraibuna e entorno e pessoas interessadas.
O Seminário será realizado dia 03 de agosto, no Sítio Aruanda, localizado na Estrada do Pavoeiro, km 1, em Paraibuna-SP ( acesso na altura do km 59,5 da Rodovia dos Tamoios SP 99 Placa GASTAU SHAFT).
Os interessados em participar desse evento poderão fazer suas inscrições gratuitamente através do telefone: (12) 3974-0713, ou pelo endereço eletrônico: institutohhfauser@gmail.com. É importante ressaltar que as vagas são limitadas.

Texto de: Carlos Gabriel - Jovem do Módulo IV, núcleo Fazenda São Pedro, e monitor na Oficina de Educação Científica do PJ-MAIS Paraibuna.





quinta-feira, 11 de julho de 2013

TURISMO IRMANADO EM PARAIBUNA



O QUE É TURISMO IRMANADO?
O Turismo Irmanado é um evento da Rede do Programa de Jovens - Meio Ambiente e Integração Social, da Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo. O intuito é praticar os turismos emissivo e receptivo entre os NEE (Núcleos de Educação Ecoprofissional) do programa.
Todos os anos a rede se reúne para decidir quais NEEs serão os anfitriões durante o Turismo Irmanado.
A programação planejada para a visita em Paraibuna foi a seguinte:
Após o lanche comunitário fizeram um City Tour.

Jovens do PJ-MAIS explicando a história da Bica D'água de Paraibuna. Conhecida por seu dito popular: Quem bebe água da Bica, aqui fica!

Mercado Municipal José Bento Rangel "Zezinho Bento".
Visão interna do Mercado Municipal José Bento Rangel.

Prefeitura Municipal de Paraibuna.

Muro ao lado da Prefeitura com grafites realizados no evento Graffiti Vale Festival.


O calçadão municipal onde se encontra antigos casarios.
Igreja matriz de Paraibuna.

Jovens do PJ-MAIS em frente à Fundação Cultural Benedicto Siqueira e Silva
Jovens PJ-MAIS conhecendo o Cemitério municipal e suas histórias.
"Nós que aqui estamos por vós esperamos" frase no portão do cemitério de Paraibuna.
Jovens do PJ-MAIS conhecendo a igreja do Rosário.
Fachada do Instituto Santo Antônio.
Jovens do PJ-MAIS em confraternização no sítio do Messias.

Organizadores do Turismo Irmanado.


Café da tarde para confraternização entre os jovens PJ-MAIS.

Boa comida feita no fogão a lenha.
Jovens e coordenadores dançando quadrilha. Seguindo os passos da quadrilha "Flor de Picão"
Jovens e coordenadores do PJ-MAIS para encerrar o Turismo Irmanado.

TURISMO IRMANADO SOB AS PALAVRAS DOS JOVENS DO PJ PARAIBUNA


"No dia 22 de junho, sábado, teve o Turismo Irmanado na cidade de Paraibuna-SP. Os PJs da cidade Paranapiacaba, Paralheiros e Cajamar vieram para cá. De manhã arrumamos a mesa do café da manhã para eles, depois fui para a fonte ver se tinha mais gente para receber, fomos eu, a Vitória e Rayza, e que depois a Diana e o Edmilton foram para lá ficar no nosso lugar. Voltamos para o salão do Sr. Evânio (Salão de eventos da Irmã Zoé). Os jovens foram fazer City Tour e eu fiquei ajudando na limpeza do salão, depois eu e a Sílvia fomos para o Caetê, pegamos uma marmitex para cada e fomos para o Sítio JM. Comemos lá e começamos a preparar os alimentos e a arrumar a mesa. Depois fui ver a quadrilha e no final comecei a cantar a quadrilha. Foi legal. Depois comemos o café da tarde, arrumamos as coisas, despedimos da turma e fomos embora. Foi muito corrido no dia, mas foi legal. Deveria ter alguma dinâmica para todo mundo se conhecer".
Luana Aparecida Moraes dos Santos - Mód. 3 (Digitado por Caroline Fonseca - Formanda).

"Minha experiência em receber turistas foi muito legal. Senti-me responsável, mais importante. Espero passar por muitas monitorias ainda. A festa foi muito boa, curtimos muito. A quadrilha ficou super, saiu muito legal, todos são simpáticos. Só espero um dia ser monitora... porque adoro esse tipo de responsabilidade." 
Larissa Raquel - Mód. 1 (Digitado por Caroline Fonseca - Formanda).

"Foi bom receber os jovens de São Paulo que fazem o mesmo curso, o city tour foi legal, o lanche no Restaurante Caetê foi gostoso, no Messias foi legal conhecer o Jefferson do Para Nossa Alegria e tirar fotos na hora da quadrilha. Dançamos bastante e no café, lá no final, foi bom!! Curti."
Ana Lucia - Mód. I (Digitado por Elder Cunha - Mód. 3).

"Cheguei um pouco atrasado no Turismo Irmanado. Quando eu cheguei o Robélio me apresentou o Jefferson, o cara que canta Pra Nossa Alegria, e conheci o resto da turma. Depois fomos tomar café, dei tchau para a turma e voltei pra minha casa."
Rafael Nunes - Formando (Digitado por Elder Cunha - Mód. 3).

"Eu fui monitor um pouco em cada grupo. A parte que eu não gostei foi quando chegamos no bosque e o grupo da dinâmica não tinha água e nem respeito, isso me deixou indignado. Fora isso os outros grupos eram muito legais e trabalhavam muito bem juntos. Acho que da próxima vez precisamos de mais trabalho em grupo e respeito com os outros."
Lucas Jeremias de Oliveira - Mód. 2 NEE Espírito Santo (Digitado por Caroline Fonseca - Formanda).

sexta-feira, 24 de maio de 2013

23/05/13


Consumo Lixo e Arte aliada a Educação Científica

    No dia 23 de Maio de 2013, os alunos do PJ fizeram pesquisa se campo, no qual tiveram que pesquisar moradores, no bairro do Laranjeira, Vila de Fátima e Centro.
    Eu, Brunão do PJ, estudante da disciplina de Consumo, Lixo e Arte, participei dessa saída de campo, junto com a Milena monitora, o William e a Bruna, a gente passou de casa em casa, entrevistando moradores para saber um pouco mais da vida deles, perguntando sobre Saneamento Básico, como : para onde vai o óleo da sua casa, se utiliza fossa, de onde vem a água, se é de mina ou não e por aí em diante.
 Brunão, Bruninha e William Oliveira no bairro da Laranjeira.



 Ana e Alice entrevistando moradora do Centro.

   Entrevistamos 8  casas, porque na maioria das casas não tinha ninguém, e também estava chovendo, o que dificultou um pouco, mas não desistimos e conseguimos entrevistar alguns moradores do Bairro da Laranjeira.
    O Raphael, o Luiz Fernando e  o Pablo, eles ficaram entrevistando o Bairro da Vila de Fátima, conseguiram entrevistar 13 casas, a Alice a Ana e o William Barreto ficaram entrevistando o Centro,  eles conseguiram entrevistaram 08 casas.
     O objetivo dessa saída de campo foi possibilitar vivências de pesquisa de campo para o módulo 3 e conhecimento sobre o tema de saneamento que faz parte da oficina de Consumo, Lixo e Arte, e coleta de dados para projetos de do módulo 4.
     
                          
Texto: Bruno Santos - Estudante do módulo 3 - NEE Fazenda São Pedro 

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Documentário da Festa do Divino - Café com histórias....

Uma noite linda de grande lua, apesar de minguante, quente, apesar do outono, e o cheirinho do Café Caipira.....
Como descrever não sei muito bem,mas foi uma experiência incrível ver um trabalho ao qual nos dedicamos muito se tornando realidade. Foi gratificante o quanto a comunidade se interessou e participou dando sua colaboração e curiosos em saber sobre as histórias,olhando as fotos e identificando quem era.
Aprendemos um pouco mais com cada um deles,os quais nos contam, com emoção, sobre as histórias de seu bairro demonstrando orgulho em dizer que fizeram parte dessa trabalho.




A falta de alguns colegas foi triste como a Daiane que colaborou muito e que fez a montagem do vídeo. Gostaríamos de ter compartilhado essa alegria com ela, lembrando do Guilherme que no dia da gravação teve que refazer tudo, pois tinha um rádio no fundo atrapalhando a filmagem; o Túlio que ajudou nas filmagens e outros que faltaram mas que foram por nós lembrados.
O “Café com os Pais” foi diferente, engraçado e agradável, nos enriqueceu com novas histórias, comentários e sorrisos , resumindo, foi ótimo para todos . 


Carol - Mod IV Núcleo Esp. Santo


quarta-feira, 15 de maio de 2013

Visita ao Sítio Arqueológico


Na verdade não esperávamos que esse sítio fosse dentro do nosso município. Quando ficamos sabendo que os trabalhadores da duplicação da tamoios tinham descoberto um sítio arqueológico por acaso, confesso que ficamos surpresos.


 Com certas explicações da arqueóloga Aline e do Wagner o assunto sobre fragmentos arqueológicos foi se tornando bem mais interessante ; todos os Jovens do módulo 3 interagiram bastante.

 
Achamos bem fascinante pois ficarmos sabendo um pouco mais sobre o passado de nossa região, como por exemplo: Aqui habitavam os índios Tupi- Guaranis que ficavam em pontos altos para observar a chegada de pessoas que não eram da aldeia, e os Aratus do sítio encontrado,  que ficavam em ladeiras atrás de montanhas e próximos de rios. Eles eram agricultores, não gostavam de guerras e queriam viver suas vidas sem incômodos.


  Descobrimos muito de nossa história, adquirimos muito conhecimento e ajudou uma PJ com o projeto que ela está trabalhando. Foi muito boa essa visita técnica. 



Escrito por: Júlia Helena


quarta-feira, 17 de abril de 2013

Sarau Cultural


Logo após o término do Seminário de Ecomercado, do dia 05 de abril, ocorreu o Sarau Cultural dos Jovens do PJ-MAIS de Paraibuna. Os que ficaram participaram de um bom momento de cultura.
O sarau foi um entretenimento simples, divertido e dinâmico, dando oportunidade aos PJ's de outras cidades para participarem, também, dessa integração e familiaridade, um ponto forte que o PJ-MAIS vem trabalhando com os jovens.
A Coordenadora Pedagógica do Programa de Jovens, Larissa Neli, fez a abertura do Sarau, explicando o que iria acontecer e passou a palavra para a coordenadora da Oficina de Consumo, Lixo & Arte, Diana, que desempenhou o papel de “mestre de cerimônia” da apresentação.

A jovem Rebeca, de Paranapiacaba, cantou a música “Sem Ar”, em um dueto com o Christopher, da rede de Paraibuna. Ele demonstrou uma excelente técnica com o violão e juntou sua voz à de Rebeca. A jovem cantou muitíssimo bem, alcançando notas altas em sua apresentação acústica.
Após o dueto, Christopher ainda cantou e tocou mais duas músicas, entre elas “Vagalumes”, do Pollo e uma da dupla Jorge e Matheus.
Depois do som calmo e acústico, foi a vez do Rap soar no sarau, nas vozes de Elder e Julio em um dueto totalmente imprevisível, fazendo a galera cantar junto. O funk também marcou presença com Christopher e Luan.


A coordenadora da Oficina de Educação Científica, Milena, leu um texto inspirador sobre a educação dos jovens, e a jovem Júlia Helena recitou suas poesias.
Por último, Júlio, Bruno e Luana apresentaram uma performance de teatro sobre morte e amor doentio, expressando a emoção da peça em um monólogo emocional, representado por Júlio.


O evento foi muito bom, e uma excelente oportunidade para os jovens mostrarem seu talento.

Texto de: Carlos Gabriel – Jovem do módulo III, núcleo Fazenda São Pedro, e monitor voluntário do PJ-MAIS Paraibuna.